segunda-feira, agosto 08, 2005

Um Homem e Quatro Esposas


Quando estive na África, encontrei com várias familias em que o marido tinha mais de uma esposa.
Em Farafenni na Gambia, ficamos hospedados ( dormiamos em uma barraca em cima do teto do nosso land rover) no quintal da casa de um senhor chamado Ismael, ela tinha 4 esposas que alegremente dividiam os serviços da casa.
As duas esposas mais novas tinham bebes de quase a mesma idade. A esposa mais velha, já uma senhora tinha filhos rapazes e moças e até netos.
O Ismael já devia estar com a idade de 65 anos e ainda era bem produtivo( em todos os sentidos).
Eles moravam a beira de um rio "Gambia", ele era pescador e tinha como ter tantas esposas, apesar de ao meu ver ser uma enorme pobreza. Ele tinha tantos filhos que não deu para contar quantos...
Bom eu tinha levado vários brinquedos desses que se ganham no McDonald's o que veio a calhar com tanta criança. Em retribuição as crianças me deram siris(vivos), eu não sabia o que fazer pois odeio carne de siri, uma das meninas nos seus doze anos se prontificou a cozinha-los para mim. Eu agradeci e quando ela chegou com os tais siris, um amigo senegales Abbdolay que nos estava acompanhando comeu-os o que me deixou aliviada. De presente das esposas ganhei um Galo, isto mesmo um galo vivinho , que eu nem em sonhos iria matar.
Bem a esposa mais velha sumiu com o galo e para meu prazer trouxe ele cozidinho numa tigela, com batatas, macarrão e muita pimenta. Eu por sorte não tinha visto a cozinha, nojenta como sou com certeza não comeria, o galo estava delicioso, acho que a melhor refeicão da viagem, agradeci a Deus por isto. Detalhe maior, não tinha talheres comemos com a mão e por sorte era Ramadan e somente minha família meteu as mãos, imagine aquela gente toda comendo do meu precioso galinho.
Conversei com as esposas sobre o fato de todas dividirem um marido, me contaram que era uma semana para cada, e uma para ele descansar. Posso? Bom elas achavam bom o fato de dividirem os serviços que eram bastante, mas confessaram que sentiam um pouco de ciúmes dele.
Ele por sua vez achava que o jeito deles viverem era mais leal que o dos nossos, pois eles assumiam a família ao inves de terem amantes e filhos as escondidas ( Tem um pouco de verdade no que ele diz)
Bom a experiencia foi ótima, ficamos por lá dois dias e seguimos viagem pois o tempo era curto e ainda tinhamos muito o que ver.

4 comentários:

Julie disse...

è sempre tao interessante observar uma outra cultura...
li o blog de cabo a rabo ontem. uma gracinha. sua filha tem a mesma idade que a minha. ela fala portugues?
beijins!

Grace disse...

Bem capaz, eu tolerar uma coisa dessas. Cultura é uma coisa tão doida!

O que vale é que o galo tava bão, né? hahaha

Preta disse...

Oi Julie,
Minha filha fala um portugues de gringo mais fala. Entende tudo em portugues, mas como o pai não sabe e ela passa o dia inteiro na escola. Seu filho é lindo tambem, antes li algumas vezes o blog da sua filha , uma gracinha.
bjs

Preta disse...

Oi Grace, Sou como a Loba da música da Alcione, por isto separei do meu primeiro marido.
...Mas saiba que eu não sou boba
Debaixo da pele de gata eu escondo uma loba
Quando estou amando eu sou mulher de um homem só
Desço do meu salto
Faço o que te der prazer
Mas oh meu rei
A minha lei, você tem que saber
Sou mulher de te deixar se você me trair
E arranjar um novo amor, só pra me distrair
Me balança mas não me destrói
Porque chumbo trocado não dói
Eu não como na mão de quem brinca com a minha emoção
Sou mulher capaz de tudo pra te ver feliz
Mas também sou de cortar o mal pela raiz
Não divido você com ninguem
Não nasci pra viver num harém
Não me deixe saber ou será bem melhor pra você
Me esquecer