quinta-feira, setembro 15, 2005

A Força que nunca seca



Sou do tempo de quando menina tinha de ir a bica com uma latinha para buscar água.
Junto com minhas irmãs eu brincava na fila, chegava em casa toda molhada e com a lata pela metade. Mas tudo era uma delicia...
Ai que saudades do tempo dificil, da minha infantilidade, até das broncas da minha mãe que acho que no fundo nem estava zangada e entendia as nossas brincadeiras de crianças.
Uma dia ouvindo esta música com a Bethania me deu vontade de pintar, ouvi a música muitas vezes até o quadro ficar pronto.

A FORÇA QUE NUNCA SECA
"Já se pode ver ao longe
A senhora com a lata na cabeça
Equilíbrando a lata vesga
Mais do que o corpo dita

Que faz e equilíbrio cego
A lata não mostra
O corpo que entorta
Pra lata ficar reta

Pra cada braço uma força
De força não geme uma nota
A lata só cerca, não leva
A água na estrada morta
E a força nunca seca
Pra água que é tão pouca

Pra cada braço uma força
De força não geme uma nota
A lata só cerca, não leva
A água na estrada morta
E a força nunca seca
Pra água que é tão pouca "

2 comentários:

Grace disse...

Também eu, já carreguei muita lata d'água na cabeça... Eu não achava tão bom, porque essa necessidade foi meio repentina na minha vida: dos nove aos 13.

E vc pinta MUITO, viu? Cada coisa mais linda, benza Deus! Acho lindas de viver, as cores que vc usa :)

Preta disse...

Oi Grace,
Como tinha muitos irmãos mais velhos, acho que a agua que ia buscar era mais uma experteza da minha Querida Mãe para poder ter uns minutos de tranquilidade...
Acho que por isto curtir , para mim era mais brincadeira, mais agua encanada mesmo só conheci aos 12 aninhos, A primeira maravilha do mundo ao meu ver na epoca.
Beijos