sexta-feira, abril 28, 2006

Mãe Velha













Minha mãe me teve com uma idade já avançada, quando era adolescente ouvia-a sempre dizer:
_ No meu tempo de mocinha não se fazia isto, aquilo e blábláblá...
Dai resolvi que se tivesse filhos (pois nunca quiz) ia te-los cedo para evitar este problema.
Casei e como o ex era orfão, encheu os meus ouvidos para que tivessemos um filho; dai veio o Felipe, o Pedro e o "descuido" Daniel (carinhosamente).
Divorciei-me , liguei as minhas trompas e pensei, filhos e novo marido NUNCA mais.
Três anos se passaram encontrei Leif no jornal Balcão ( conto a historia num outro post) , filho único e solteiro, bom demais para ser perfeito... O pai dele teve enfarte faleceu depois de um ano que estavamos morando aqui. Dai o Leif começou com a idéia de querer um filho (Eu não mereço, pensei). Fomos tentar fazer um bebe de proveta mas o preço me assustou, na época uns 7 mil reais por tentativa, e haviam casais que só conseguiam na terceira tentativa, era como uma loteria.
Jamais... nunca que pagaria esta grana para ter noites sem sonos e aborrecimentos, se fosse ter outro filho teria de ser de graça e ponto final.
Uma doutora ficou com pena do Leif e ofereceu-se para me operar ou seja religar as minhas trompas mas as chances de ter um bebe eram menores ainda e dai topei ( não me custou nada).
Fiz a operação e pensei ele esta feliz por eu ter feito isto por ele, e eu tambem por saber que provalvemente não irá funcionar.
Um ano e meio depois nasceu a uma menina Charlotte Manuela; que batizamos com o nome da médica que me operou e em homenagem a Jesus pois foi quase um milagre (ia ser Emanuela, mas depois dos filmes pornos...)
Bom o que ia contar é que não tenho mais paciencia para crianças, ela hoje apesar de eu ter dito para não trazer rabos, me chegou com 5 amigos que estou doida para botar para correr, pois estão me enchendo o saco. Constatei que estava muito velha para ser mãe.

16 comentários:

Luz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luz disse...

Elizabeth,

Ri, ri, ri... e ri continuadamente com seu post.
Até que os meus colegas de trabalho disseram: Foi hoje, ela flipou de vez, coitada! - Na minha secção sou a única mulher, eles são 6 homens, por isso não fiz caso deles e continuei rindo.
Eu fui mãe aos 17 anos, porque assim o desejei... aos 27 anos era mãe de 5 rapazes (nunca me arrependi). Os 3 primeiros, já estão "arrumados" lá na vidinha deles. Tenho comigo o N.º 4 e o mais novo, N.º 5 que vai fazer 21 em Agosto. Fiz 48 anos no mês de Março.
Sinto-me jovem e com forças, apesar de ter uns quilos a mais (nada que eu não possa resolver com boa vontade).
Fui mãe brincalhona, amiga, educadora e bati, pouco, mas bati. Preferia ter criado sem dar tapas, mas eles mereceram aquelas que dei... mal empregadas aquelas que caíram no chão – como já dizia a minha avá paterna.
Nas férias, quando estamos todos juntos, é uma festa. Além dos 5 agora são mais 3 noras e 2 netos (por enquanto há-de vie mais netos se Deus quiser!)... eu adoro esses "novos" seres...
Mas, para ser franca... quanto eles saiam todos, eu pareço aquele miúdo, do filme "Sozinho em Casa", corro/rindo de contente, com meus baraços abertos, pela casa toda... só visto!
A minha sorte ou a sorte deles, é que a parte de baixo da casa é só para eles, por isso eles podem trazer os amigos... e qualquer dia vou lá montar uma cozinha, assim... vou "proibir" eles entrar no "meu lado".
Sua Menina Charlotte /"Lotta" foi Muito Bem Feita! Ela é linda...

Engraçado, seu 3º filho se chama de Daniel, o meu 3º também
O meu segundo é o Charly e você tem uma menina Charlotte!

Um abraço amigo, tá!

Sandra disse...

Oiiii, ando tendo dificuldades para entrar no seu blog por conta de um controle active que eu acho que meu filho tirou do meu pc, anyway.... eu sempre gostei de crianças (AS MINHAS)...hehehe... nunca tive jeito com crianças dos outros, elas tem medo de mim. Eu sei que filho é bênção de Deus, mas a preocupação constante cansa a gente. Descobri ontem que me filho experimentou um cigarro de maconha, ele tem 15 anos, eu que me considero tão moderna, fui pega de surpresa por um sentimento de fracasso, desilusão, sei lá. Agora a preocupação que já era bastante antes, virou neura mesmo, daqui pra frente é dormir com um olho aberto e o outro fechado, mas bola pra frente né.
Mas bem que eu queria ter 3 filhos, quem sabe eu não tomo coragem e não tenho mais um pra fechar com chave de ouro.
Beijos, bom final de semana :)

Cacau disse...

Oi, Beth! Adorei esse post...foi uma delícia ler inteiro até chegar no final hilário!!!


beijocas,

Claudia

Clarice disse...

Andas muito rabugentinha últimamente, rsss. Mas adorei tua história. Sei que toda história contém percalços, mas a tua, mesmo que os tenha, resultou muito bonita. Podes e tens o direito de perder a paciência pois já fizeste bem a tua parte e continuas fazendo. Parabéns por seres como és, bonita pessoa.
Abração

Meire disse...

e tua mae tinha razao...tudo tem sua epoca..
nao procriei por ter pensado muito ai o tmepo passou e nao queria ser avò de meus filhos..
bjs

Preta disse...

Eu gosto de crianças, mas acho que minha cabeça não acompanha a das crianças suecas pois elas são criadas de maneira totalmente diferente das brasileiras e da educação que recebi, sem contar que ando cansada e trabalhando muito e quando chego em casa quero silencio e não crianças correndo e gritanto dentro de casa em brincadeira de esconde-esconde nos meus armários.
Os meninos eram mais tranquilos e mais obedientes que a Lotta.

Márcia(clarinha) disse...

Minha querida,
que história linda...
Realmente tudo tem seu tempo, hoje vivo as voltas com netos,ótimos,mas se me canso devolvo-os,rss
Relaxa lindinha, ainda tem muito que segurar,opss
lindo dia
beijossssssssssssss

Denise Arcoverde disse...

Que post maravilhoso, querida, adorei saber essa história incrível! e eu tive o enorme prazer de conhecer a famosa Charlotte Manuela, que é LINDA, esperta, inteligente e ficou "assim comigo", unha e carne ;-) manda um beijo enorme pra ela, Beth!!!!!!!

Lucia Villa Real disse...

Hum, eu conheço bem essa história, com a diferença que eu ainda estou tomando coragem pra encomendar o primeiro. Já são quase sete anos de casamento, e infinitos apelos do meu marido, até que em fevereiro fiz uma operação para retirar um mioma que supostamente me impediria de engravidar. Ganhei mais um tempo... segundo o médico tenho que esperar até o fim do ano para começar com as tentativas.
Daí já vou ter quase 36... bate um medo, uma insegurança, e fico me perguntando se realmente nasci para ser mãe.

Flávia disse...

Beth, que engraçada essa sua história!!!!!!! Tô quase na mesma situação da Lucia aí em cima. Só não fiz a cirurgia.....hehehe!
Eu adoro crianças, mas elas mexem em tudo!!!!!!!!! Meu afilhado passou uns dias aqui comigo e mexendo horrores no computador, e ele só tem 1,5 anos! Preciso ainda me aprimorar no quesito paciência.
Beijos

celia disse...

Oi Betty adorei conhecer sua estoria. Vc apesar de nao querer ter filhos, caprichou bem, pois sao todos muito bonitos. Bom fim de semana. Bj

Roseane disse...

Elizabeth de vez em quando a vida nos surpreende não é mesmo?! Bom saber dessa parte de sua vida...paciência e bom humor para lidar com crianças e adolescentes...bom domingo!

É assim que eu sou disse...

Pois é Beth, eu acredito que o que está determinado, a gente não consegue simplesmente mudar o rumo. Quando a Camila nasceu eu fiz laqueadura de trompas, no meu caso, só amarradas. Quase morrí depois do parto, tive complicações. Fiquei seis dias na U.T.I. e mais vinte no hospital. Um ano e meio depois estava grávida. Acabei perdendo a minha outra filha, que nasceu aos sete meses, com insuficiência respiratória, e não resistiu.
Beijos

Meiroca disse...

Passei pra deixar um beijinho...

Vanessa disse...

Adorei a história! E imagino que o seu marido tenha ficado no céu com a chegada da filhota!

Aqui em casa a pressao tem sido enorme para a vinda de mais um. Mas, cade disposicao?! Nao sei se tenho vocacao pra ser mae de dois filhos...
Beijos,
Van