quinta-feira, setembro 14, 2006

Sem autorização do Roberto




Pois hoje estou carente!!!
Lady Odília

Tenho às vezes vontade de ser
Novamente uma menina
E na hora do meu desespero
Gritar por você
Te pedir que me abrace
E me leve de volta pra casa
E me conte uma história bonita
E me faça dormir
Só queria ouvir sua voz
Me dizendo sorrindo
Aproveite o seu tempo
Você ainda é uma menina
Apesar de distância e do tempo
Eu não posso esconder
Tudo isso eu às vezes preciso escutar de você
Mamãe, me leve pra casa
Mamãe, me conta uma história
Mamãe, me faça dormir
Mamãe!
Mamãe, me leve pra casa
Mamãe, me abrace forte
Mamãe, me faça dormir
Mamãe!
Quantas vezes me sinto perdido
No meio da noite
Com problemas e angústias
Que só gente grande é que tem
Me afagando os cabelos
Você certamente diria
Amanhã de manhã você vai se sair muito bem
Quando eu era criança
Podia chorar nos seus braços
E ouvir tanta coisa bonita
Na minha aflição
Nos momentos alegres
Sentado ao seu lado, eu sorria
E, nas horas difíceis
Podia apertar sua mão
Tenho às vezes vontade de ser
Novamente uma menina
Muito embora você sempre achava que eu ainda era
Toda vez que eu te abraçava e te beijava
Sem nada dizer
Você dizia tudo que eu precisava
Escutar de você....

2 comentários:

valter ferraz disse...

Bateu carência, foi?
Bota um Benito de Paula na vitrola, caipirinha no copo e deixa a cabeça rodar. Vai ver que passa.
Beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

As vezes todas as certezas que temos, não basta. A angústia, o vazio toma conta da gente, muitas vezes não sabemos nem ao certo o que é, só sabemos que algo nos incomoda, aí nessa hora, queremos apenas tão sómente colinho de mamãe, mesmo sabendo que isso é impossível.
Nessas horas até a saudade nos conforta, ou melhor, só a saudade nos conforta, porque não nos resta mais nada.
Fica em paz.
Beijos