quarta-feira, novembro 15, 2006

Só falta você para a minha festa ser completa



Chorei, não procurei esconder
Todos viram, fingiram
Pena de mim, não precisava
Ali onde eu chorei
Qualquer um chorava
Dar a volta por cima que eu dei
Quero ver quem dava

Às 17:15 de 1958, nasce em Botafogo no Rio uma menina magricela e feia, segundo as más linguas da vizinhanca.
A neguinha além de mijar na cama até aos 11 anos ainda chora atoa e por tudo, por isto é chamada pelos familiares de "Manteiga Derretida".
Começa a escola já sabendo ler e escrever e pula para a terceira classe. Por ser a menorzinha da sala é logo apelidada de "Pingo do i".
É muito timida e caseira e quase nunca sai para festas ou bailes para alegria e tranquilidade dos pais. Gosta de leituras e vive da casa para a escola e vice versa.
Apanha bastante das irmãs que já não aguentam com a mãe dizendo:
_ Porque vocês não podem ser como ela.
Aos 18 anos ainda não tem namorado e quando todos pensam que entrara para um convento para virar freira , ela desencanta e se apaixona.
Começa a trabalhar, casa-se com o primeiro namorado e tem filhos.
Tranca a matrícula da faculdade depois do primeiro ano e nunca retorna.
Perde a irmã e melhor amiga de 25 anos para o cancer.
Chora, odeia, não se conforma e fica de mal com Deus.
Começa a viver sua vida como se o final estivesse próximo, como se fosse morrer amanhã.
O casamento tambem não dá certo, e a separação é um fato.
Apesar do trabalho de criar sòzinha os três filhos é neles que encontra forças para continuar. A estas alturas já tinha mandado Deus para o inferno.
Precisa de algo para se distrair, começa a se corresponder com amig@s de todas as partes do mundo através do Balcão um jornal de classificados, passa noites em claro escrevendo cartas, aproveita enquanto os filhos estão dormindo ( PC e internet nem em sonho). Se apaixona por um deles mesmo que distante.
Resolve entregar os filhos ao ex- marido; em prantos e com o coração partido. Segue com a irmã para a Itália , precisa parar para repensar na sua vida.
Conhece a Finlandia, Noruega e Suécia e vive um grande amor.
A saudade dos filhos é maior que ela mesmo e depois de 3 meses volta ao Brasil.
A paixão a segue para ter certeza do regresso da amada (com os filhos que veem a ser como dele próprio).
Faz as pazes com Deus e agradece, recebe a graça de mais uma filha.

Reconhece a queda e não desanima
Levanta, sacode a poeira
E dá a volta por cima

Hoje aos 48 anos ( 17 de Suécia) se sente uma mulher forte , amada,vitoriosa e previlegiada. A timidez desapareceu como por encanto. Pede ao grande amigo Deus forças para poder viver no minimo mais uns 30 anos com saúde para poder brincar com os netos que com certeza ainda viram; e com o marido conhecer novos paises e cidades que é o grande interesse dos dois.

Parabéns para mim pelos meus 48 anos!

9 comentários:

Sandrinha disse...

Chorei com tua história, vivo o refrão da música que vc escreveu, ainda separada do amor e por amor que esta na terra do pão e vinho me encontro vivendo um pouco do episódio vivido tb por vc. A DEUS peço graças, felicidades para que vejas sim seus netos e continue sendo feliz.

Estar aqui hoje me deu uma força...

Parabéns

Forte abraço

O Meu Jeito de Ser disse...

Beth querida, cheguei e a casa já estava cheia. Que bom, voce merece uma festa linda, com muitos amigos.
Voce é muito especial, e merece muitos anos mais que Deus possa lhe dar, para que vc tenha sim a felicidade de brincar com seus netos, que é a maior graça que ele nos concede.
Parabéns a vc, felicidades. A sua história é linda e comovente.
Realmente vc é uma mulher forte, prova disso, que está aí hoje vivendo juntinho do seu amado Leif, e de seus filhotes a felicidade merecida.
Parabéns, que vc seja sempre feliz, sempre e muito feliz.
Ah! passa lá, deixei algo prá vc.
Beijos

Maíra disse...

Oi Elisabeth, cheguei aqui através do blog da Meiroca para te dar os parabéns pelo teu dia e adorei o texto do post de hoje, adorei o seu blog, virei aqui mais vezes!!!
Seja muito feliz!!!
Beijinhos

valter ferraz disse...

Beth, com todo o respeito: PUTA QUE PARIU!
Me desculpe o linguajar de campo de futebol mas foi a única maneira que encontrei de expressar o que sentí. Parabéns pela força e coragem. Ousar lutar, ousar vencer é o teu lema. Felicidades sempre! e parabéns estendidos aos filhos por ter a mãe que têem. Ao meu amigo sueco, parabéns redobrados pois saiu premiado. Fico muito feliz de ter você no meu rol de amigos. Fôrça sempre!
Grande abraço
PS: guarda um pedaço desse bolo prá mim?

Sonia Horn disse...

Querida Beth,
Que linda história, amiga! Principalmente a parte final onde você "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima"!
Desejo de coração muitas felicidades para você e que seus dias de vida venham sempre pincelados com amor, amizade, saúde, paz e alegrias, muito bem refletidos na tua arte de pintar.
Seja sempre muito feliz!
Beijos e abraços,
Sonia Horn

Ale disse...

Que coisa linda de ler!! Me encheu os olhos de lagrimas... Muita coisa em comum, acho que ainda estou de mal...
Beijos!! Muita felicidade e mais uns 48 por vir!!
Feliz Aniversario!!

luma disse...

Elizabeth!! Hoje é seu aniversário e nós estamos ganhando de presente essa linda história de vida!! Que Deus a conserve tão rica, tão virtuosa!! Parabéns por esse grande dia!!

Beijus

Lúcia disse...

Olá! Conforme eu disse pra Aninha, que vinha aqui lhe dizer: FELIZ ANIVERSÁRIO, BETH!!!! Abraços sinceros.

Luz disse...

Beth,
tenho andado um pouco desligada da Net e da blogagem, hoje queria visitar o pessoal, mas a trovoada não deixou, apagou tudo… depois fomos para a cama, como o sono não chegava, liguei o PC…
São 4:44 da manhã, e aqui estou te desejando as maiores felicidades e muitos anos de vida, (temos experiências de vida semelhantes).

Um Grande Abraço de Amizade