terça-feira, outubro 04, 2005

Carta de Amor (de Mãe)


Estive agorinha lá no blog da Denise Arcoverde http://www.sindromedeestocolmo.com/, onde ela escreveu um post "Você tem fome de quê?", adorei como quase tudo que ela escreve e dai resolvi deixar aqui para vocês lerem parte de uma carta que escrevi a meus filhos a pouco tempo atrás.

Sandviken, 23 de setembro de 2005

Oi Meus Filhos e Lotta
Não sei porque, mas me deu vontade de escrever uma carta para vocês e agora, acho que pelo fato de ter visto tanta gente morrer nos ultimos meses.
A única coisa certa aqui na vida é que vamos envelhecer e vamos morrer...mas nunca sabemos o quando.
Eu quero e espero que voces tentem viver o melhor possível no Hoje, pensando que "Agora é a Hora e o momento certo".
Não passem o tempo se arrependendo e pensando no que já se foi, isto não fará o futuro de vocês melhores.
Todos nós temos e devemos nos responsabilizar pelos nossos semelhantes, respeitem a todos e não julguem as pessoas. Todos que fazem aquilo que achamos ser errado, fazem na tentativa de serem Felizes.
Pois isto é o que todos queremos na vida. " Ser Felizes"
------
Eu nasci e fui criada numa família onde o Amor e a Fraternidade era o mais importante de tudo. Meus pais não se realizaram totalmente na nossa criacão, mas não são muitos que o fazem. Agora que envelheci e penso no passado reconheço que se meus irmãos e eu tivessemos feito como nossa mãe nos ensinou, estariamos todos vivendo muito melhores no dia de hoje.
Existem tantas coisas que me arrependo na minha vida, mas não paro muito para pensar nisto e tento seguir adiante procurando sempre melhorar e não repetir os meus erros.
Eu não devia ter parado a faculdade que comecei.
Eu deveria ter passado mais tempo com vocês, quando mudamos aqui para a Suécia.
Não devia ter permitido a mudança de vocês por causa daquela briga tola entre Pedro e Leif ( espero que vocês tenham me perdoado).
Não deveria ter mudado para Tillberga, quando meu coração dizia que Não.
Deveria ter tomado mais parte dos interesses de vocês , te-los seguido mais nos treinos esportivos.
Deveria ter repetido muitas vezes para minha mãe o quanto eu a amava .
Não deveria nunca ter casado com o Toni, se eu soubesse que ele nunca ia fazer papel de Pai, e tomar parte da vida de vocês, deixando-me sòzinha tomando conta da educação, e carregando sozinha responsabilidades e preocupações.
Mas por outro lado eu os amo tanto que não poderia pensar uma vida sem vocês e para isto precisei dele...
------------
Não sei o quanto meu jeito de ser afeta a educação de vocês, mas como acredito que crianças tem mania de imitar aos adultos e não de fazer como eles dizem, procuro viver da maneira mais correta possivel para dar-lhes bom exemplo. Por favor não compiem as nossas falhas ( Leif, Toni ou as minhas) Vocês podem mais e são melhores que nós.
-----------
Quero que saibam que eu os Amo e sempre o farei, que quero e desejo o melhor para todos os quatro.
Beijos Mamma

Cortei algumas partes em que falava para cada um deles em separado.
Depois desta carta, os meninos me ligaram perguntando se eu estava com uma doenca maligna.
Eles ficaram contente em saber que isto é somente um dos efeitos da minha crise dos 50 anos se aproximando!!!

Um comentário:

ciganaglobetrotter disse...

Te achei lá na Denise.Acxhei itneressante sua forma de escrever.E coincidência:o meu sueco tbm se chama Leif.Mas, diferente do seu, não vive mais na Suécia.Mudou-se de malas e cuias para o B rasil.Dias felizes